Sexta, 27 de Fevereiro de 2015
   
Fonte

Servidores Públicos Municipais - através do Sindicato - fizeram uma proposta ao Prefeito de Santa Isabel, Padre Gabriel Bina, para um possível aumento salarial e a volta do vale alimentação no valor de R$ 100 mensais, que foi cortado. A contra proposta feita pelo Prefeito não foi aceita pelos funcionários, já que não incluía a volta do vale alimentação, provocando um “estado de greve”.

Na última quinta-feira (19), por volta das 18h, um grupo de funcionários públicos junto com o SINDISMAR (Sindicato dos Servidores Municipais de Arujá, Santa Isabel, Igaratá, Nazaré Paulista e Bom Jesus dos Perdões) fizeram uma pequena manifestação na Praça Fernando Lopes, ao lado da Prefeitura, centro da cidade de Santa Isabel.

Segundo o Presidente do Sindicato, Miguel Ângelo Latini, a manifestação foi para iniciar o “estado de greve”, anunciando oficialmente na manhã de ontem, sexta-feira (20), ao Ministério Público e à Prefeitura Municipal de Santa Isabel.


E o tão aguardado período de chuvas chegou - com atraso - e faz com que as autoridades fiquem um pouco aliviadas devido o leve crescimento de água nos reservatórios e represas. E parece que o período de estiagem não serviu para que a Prefeitura de Santa Isabel colocasse “seu planejamento” - no que se refere a manutenção de estradas - em prática, pois bastaram poucos dias de chuvas para que os moradores dos bairros do Aralú, Ouro Fino, Monte Negro e Jardim Eldorado voltassem a conviver com velhos problemas causados pela falta de manutenção das ruas de terras.

Durante o carnaval, praticamente choveu todos os dias na cidade de Santa Isabel e já na última quarta-feira (18), famílias inteiras ficaram impossibilitadas de sair de casa, principalmente para trabalhar, simplesmente porque ruas estavam intransitáveis devido ao barro que se formou nas vias, impossibilitando o tráfego de veículos e inclusive a pé.

No Ouro Fino, por exemplo, há ruas em que os moradores sequer conseguiram sair de casa e os ônibus da Transcooper deixaram de percorrer o bairro por falta de condição e segurança de tráfego. Os moradores que se ausentaram em seus trabalhos tiveram que ligar e justificar suas ausências, pois o bairro ficou ilhado.


Passou o carnaval e já estamos prestes a findar o mês de fevereiro e a situação de diversas vias públicas da cidade Santa Isabel parece não mudar. Reclamações por falta de manutenção das vias públicas continuam sendo uma constante e com a chegada das chuvas, o problema parece que está agravando, pois o mato está crescendo cada vez mais rápido.

Ninguém gosta de caminhar pelas calçadas desviando dos matagais gigantescos, ou mesmo observar uma paisagem “abandonada”, seja no centro ou em bairros mais afastados. A situação está crítica e parece não ter resolutividade por parte do poder público.

Muito mato, muitos insetos, animais peçonhentos, entre tantos outros graves problemas, tem gerado revolta e indignação por isabelenses, principalmente no bairro do Jardim Eldorado. O mato está tomando o bairro e há ponto que a vegetação está tão alta que cobriu boa parte da cabine de um telefone público.


Na última sessão do mês de fevereiro realizada na quinta-feira (19), o Vereador Alencar Galbiatti fez o uso da tribuna para informar que irá propor a criação de uma comissão para investigar uma possível irregularidade do vereador Odilon Fernandes, que utilizou um dos advogados da Câmara Municipal para formular uma ação popular contra o Prefeito de Santa Isabel, Gabriel Bina.

Na ação o vereador passa uma procuração a um assessor jurídico do legislativo e no entendimento do vereador Alencar, o uso dos assessores jurídicos da Câmara em uma ação popular (processo particular) é irregular e passível de punição, ou seja, se confirmado a irregularidade o vereador Odilon Fernandes pode ter seu mandato cassado, isso porque a base do governo tem plena maioria da Câmara e já possuem as cinco assinaturas para a criação da comissão de investigação e terá votos suficientes - dez - para cassar Odilon, caso seja comprovado a irregularidade.

Vale lembrar que a ação popular proposta pelo Vereador Odilon Fernandes na qual solicitava a intervenção do judiciário determinando a exoneração de todos os agentes de trânsito contratados pela Prefeitura de Santa Isabel foi arquivada pela Juíza Dra. Cláudia Vilibor Breda. Odilon alegava que os agentes de trânsito foram contratados pelo regime de CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) contrariando a determinação do STF (Supremo Tribunal Federal) que revogou um artigo e estabeleceu o regime estatutário como sendo o único para admissão de funcionários públicos.


Acontecendo de duas a três vezes por semana no município, agentes sociais estão realizando abordagens junto aos moradores de rua que ficam situados em praças ou logradouros da região central de Santa Isabel. O trabalho foi intensificado neste mês de fevereiro devido ao Carnaval, onde até esta semana foram realizadas 80 abordagens, sendo que houve pessoas que receberam até sete interverões.

Ao todo, onze pessoas aceitaram acolhimento e foram encaminhadas para a instituição “Casa de Maria”, local voltado para o acolhimento que mantém convênio com a Prefeitura de Santa Isabel. Três moradores retornaram para suas famílias e oito estavam de passagem pela cidade devido aos festejos.

Segundo o executivo municipal, para garantir melhor qualidade de vida, assim que resgatados das ruas, os moradores são destinados à Casa de Maria situada nas cidades de Santa Isabel e Mogi das Cruzes. No local, todos podem contar com atendimento exclusivo que proporciona a higiene pessoal seguidos de alimentação e acompanhamento na área da saúde.

Segundo levantamento, ainda grande parte dos moradores são de Santa Isabel, outra metade se completa de pessoas de cidades vizinhas como Arujá, Igaratá e outros lugares mais próximos. Segundo os assistentes sociais que trabalham no acolhimento, o maior motivo dos moradores de rua se encontrar nestas condições, é o abandono familiar seguidos dos problemas relacionados a algum vício.


Por Marli dos Reis

Há dois anos a família Deppman chora a perda de Victor Hugo, 19 anos, morto friamente na calçada de seu prédio pelo menor, Kaíque Simão de Souza, com 17 anos na época. O assassinato aconteceu no Belenzinho, Zona Leste de SP, em abril de 2013. Mesmo após entregar o celular e sem esboçar qualquer reação, o ex-morador de Arujá, Victor Hugo Deppman levou um tiro fatal na cabeça.

Dias depois do ocorrido, juntamente com sua mãe e seu advogado, Kaíque, já com 18 anos, se entregou na Fundação Casa onde teria de cumprir uma pena de três anos. No entanto, o assassino pode ser solto antes mesmo deste período. O jovem, que hoje tem 19 anos, poderá ficar em liberdade porque passou em um vestibulinho da Escola Técnica Estadual. A Fundação Casa alega não ter condições de oferecer escolta para que o menor estude e em no máximo três meses ele pode ser liberado.

Desde a morte de Victor, sua mãe, Marisa Riello Deppman, e seu pai, José Valdir Deppman, lutam pela redução da maioridade penal e a notícia da possível soltura de Kaíque veio como uma bomba para a família que segue convivendo com a dor da perda.


O deputado André do Prado (PR) participou na manhã da última quinta-feira, dia 19 de fevereiro, da cerimônia de assinatura da lei que cria o passe livre estadual, ou seja, os alunos da rede pública que estejam matriculados nos ensinos fundamental, médio, superior, técnico e tecnológico poderão utilizar gratuitamente os meios de transportes administrados pelo Governo do Estado de São Paulo.

André do Prado, que foi professor de escola pública, destaca como muito importante essa iniciativa do governador Geraldo Alckmin em favor dos alunos, principalmente os mais carentes. “Não basta reclamar da qualidade do ensino. Através dessa lei, o governador está buscando mecanismos que facilitem o acesso de nossas crianças e adolescentes às escolas. Tenho certeza que essa nova medida irá ajudar os alunos de Guararema, Santa Isabel, Biritiba Mirim, Suzano, Mogi das Cruzes e demais cidades do Alto Tietê”, comenta o deputado estadual.


A Secretaria de Segurança Pública definiu com as operadoras de telefonia o procedimento para garantir o bloqueio efetivo dos celulares furtados e roubados, para diminuir os crimes envolvendo estes equipamentos.

Em reunião com os representantes das empresas, no gabinete do secretário, foi anunciada a edição da Resolução 3/2015, da Secretaria da Segurança Pública - SSP, que centralizará no DIPOL (Departamento de Inteligência) da Polícia Civil todas as requisições de bloqueio para as operadoras de telefonia no prazo máximo de 12 horas.

“Queremos que os IMEIs (International Mobile Equipment Identity) sejam efetivamente bloqueados”, explica o secretário Alexandre de Moraes. “Os IMEIs são o ‘documento de identidade’ dos celulares e, uma vez bloqueados, impedem o funcionamento e a comercialização destes celulares no mercado ilegal, tornando inútil o furto e roubo desses equipamentos”, disse o secretário.


A Igreja Católica realiza, nessa quaresma, a 52ª edição da Campanha da Fraternidade, com o tema Fraternidade: Igreja e Sociedade e o lema ‘Eu vim para servir’ (Mc 10,45). O cartaz mostra o significativo gesto do Papa Francisco beijando os pés de uma pessoa, no rito do lava-pés.

Nesses anos, a campanha seguiu três categorias de temas: os ligados à renovação interna da Igreja, os relacionados a questões sociais (família, saúde, educação, trabalho, ecologia) e os referentes a situações existenciais de grupos específicos e excluídos da sociedade (menor, negro, mulher, juventude, indígenas).

Durante a campanha, em todo o País, as comunidades e organismos da Igreja refletem, de forma capilar e popular, o tema proposto. O deste ano oferece como que uma síntese dos anteriores, uma vez que trata da ação social da Igreja, com base em sua Doutrina Social. O ponto de convergência entre Igreja e Sociedade é a busca do bem comum e o esforço de se construir uma sociedade baseada em princípios fundamentais como justiça, direito, paz, liberdade.


Diante de tudo que aconteceu em Santa Isabel nos últimos 10 anos - oito anos de governo Buscarioli e dois do governo Bina -, você, caro leitor já chegou ao momento de refletir uma ou mais vezes sobre a cidade que quer para viver, a cidade que quer deixar para seus filhos e netos. 

Neste período tudo já foi testado, experimentado e prometido. Vimos nossa bela Santa Isabel fraquejar ano após ano e assistir a população ficar apenas com o prejuízo vindo de pessoas incompetentes, desqualificadas e o pior, sem a menor vocação para política.

Hoje, neste espaço que sabemos que é prestigiado por milhares de leitores, vamos iniciar os debates sobre as próximas eleições municipais que só acontecerão em 2016. Você até pode achar que é muito cedo, mas precisamos que o resultado das próximas eleições seja diferente do que vimos nas últimas três, só assim será possível pensar em um futuro diferente para cidade.


Pesquisar no site

Jornal Agora News - Virtual

Banner

Previsão do Tempo

Cambio

Login