Quarta, 03 de Setembro de 2014
   
Fonte

Na manhã da última quarta-feira (27), o Jornal Agora News recebeu uma denuncia informando que um carro da Associação Afro-Brasileira da cidade seria abastecido - mais uma vez - com uma guia de autorização de um veículo ambulatorial (ambulância) da Secretaria de Saúde de Santa Isabel, que já havia sido abastecido antes; e que já se encontrava na cidade de Mogi das Cruzes, levando pacientes para hemodiálise.

A equipe do jornal ao chegar ao posto de combustíveis onde a Prefeitura de Santa Isabel tem convênio deparou com o veículo Ducato (Placa CSI-6744) da Associação Afro-Brasileira. O motorista da Prefeitura C.A.C. informou que estava abastecendo o veículo para buscar membros do Conselho de Saúde que estavam fazendo curso, e que pegou a requisição junto a Secretaria de Saúde.

Na requisição estava liberando o abastecimento da ambulância Ducato (Placa DBA-9673), que segundo informações estava em outra cidade no mesmo horário. Após abastecer o valor de R$ 162,70, o funcionário do Posto imprimiu o comprovante informando que o veículo que estava sendo abastecido era uma ambulância (Placa DBA-9673) e o motorista assinou e saiu do local.


Após o risco iminente de ficar sem água para abastecer parte da cidade, a Prefeitura Municipal de Santa Isabel conseguiu junto aos órgãos competentes, a autorização para construção de uma barragem na Represa do Jaguari, que abastece a Estação de Tratamento e Água 2 (ETA 2), responsável por cobrir 30% da cidade.

Com a orientação de técnicos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), a barragem com terra e pedra foi erguida dentro da represa e a equipe da Prefeitura está tralhando no local desde o último sábado (23). O objetivo é conter a água, não deixando que ela siga livremente para a cidade de Igaratá, garantindo  o abastecimento de Santa Isabel.

Segundo o técnico Paulo Maduro, a barragem foi feita com o conhecimento do governo estadual, da Sabesp e do DAEE. “O DAEE de Taubaté e o DAEE de São Paulo, a Sabesp que está nos auxiliando aqui tecnicamente porque ela não pode trabalhar porque não foi assinado o contrato ainda. Mas eles estão dando um respaldo pra gente, para que essa barragem fosse construída em tempo recorde, em dois dias”, conta.


O excesso de cavaletes com propaganda eleitoral espalhados pelas praças e calçadas de Santa Isabel tem irritado os pedestres na cidade. Os munícipes reclamam de terem que ficar desviando das placas e alguns comerciantes falam até do início da poluição visual. Apesar das reclamações, o Ministério Público Eleitoral afirma que a legislação permite a situação e que pouco pode fazer para reverter o quadro. O material pode ficar exposto das 6h00 às 22h00, desde que não atrapalhem a passagem de pedestres e de veículos. Mas muitos acabam atrapalhando, principalmente os cavaletes colocados nas praças e canteiros.

“Está demais. E o pior é que eu acho que esse tipo de publicidade não rende muitos votos. Não consigo imaginar alguém que vote em um candidato só porque viu em um cavalete”, afirma um pedestre que transitava na praça próxima a Delegacia de Polícia do município.

Segundo as normas eleitorais, os candidatos podem fazer propaganda em objetos móveis, já a propaganda fixa, como faixas, cartazes e pinturas são proibidos em locais públicos e também em estabelecimentos comerciais. Só é permitida em imóveis particulares, com a autorização do dono e de graça.


Esta semana o jornal Folha de São Paulo publicou uma matéria sobre a corrida por poços artesianos no interior de São Paulo.

Com mais de 2 milhões de pessoas sob racionamento oficial e rios cada vez mais secos, o interior de São Paulo vive agora uma corrida por poços artesianos, que começa a alcançar também a região metropolitana.

Os poços são uma alternativa viável de abastecimento de água, segundo especialistas consultados, mas a expansão enfrenta dificuldades, como alto custo, excesso de demanda e lentidão na análise de licenças.


O prefeito Abel Larini prestigiou a abertura da Exposição de Flores e Orquídeas da Associação dos Floricultores da Região da Dutra (ExpoAflord), na manhã do último sábado, 23 de agosto. O evento será realizado até 7 de setembro, sempre aos sábado e domingos, na Avenida PL, Km 4,5, Fazenda Velha, Arujá.

Além de apreciar a exposição de flores e plantas, o público presente poderá acompanhar apresentações de músicas e danças tradicionais da cultura japonesa, bem como desfrutar da variedade de opções na praça de alimentação. Além disso, terá a oportunidade de comprar os produtos por preços abaixo dos praticamos no mercado.

“Para mim é uma satisfação pessoal, não só na qualidade de prefeito, mas também de cidadão. A ExploAflrod faz com Arujá seja uma cidade conhecida no estado de São Paulo e em todo o Brasil. Hoje nós temos uma tradição construída. Quero agradecer ao presidente da Aflord, Edson Tamada, que é jovem e faz um grande trabalho e ao Katsuya Araki, um dos fundadores disso aqui”, afirmou o prefeito. A solenidade também contou com a presença de diversas autoridades políticas, militares, representantes da sociedade civil e centenas de pessoas.


A Câmara de Arujá aprovou moção de parabenização ao prefeito Abel Larini (PR) durante a sessão ordinária de segunda-feira, 25 de agosto. O documento reconhece o chefe do Executivo como “administrador austero e cumpridor das leis” em consequência à aprovação de 12 contas municipais pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo.

“Eleito prefeito em 1996, desde o ano de 1997 tem obtido parecer favorável à aprovação pelo Egrégio Tribunal de Contas, um feito inédito e uma demonstração de austeridade com o dinheiro público”, diz o documento.

 “Arujá é a única cidade do Alto Tietê que teve as contas consideradas regulares nos últimos 12 anos pelo Tribunal de Contas. E quando isso ocorre temos de prestar homenagem ao gestor, no caso, o prefeito Abel Larini, e aos gestores que demonstraram respeito à legislação, às leis e à gestão orçamentária”, afirmou o vereador Wilson Ferreira da Silva, autor da propositura, durante a sessão da Casa de Leis.


A Câmara de Arujá aderiu à “Aliança em Busca da Compensação Financeira pela Produção de Água”. O movimento, encabeçado pelas Casas Legislativas da Região do Alto Tietê, tem como objetivo garantir a transferência de recursos financeiros aos municípios que contribuem para produção, reserva e fornecimento de água para abastecimento público. A Moção de Apelo, a ser enviada ao governo do Estado e que reivindica a alteração de dois itens da Lei Estadual nº 3.201/81, alterada pela Lei 8.510/93, foi aprovada, por unanimidade, na sessão de ontem (18/8).

Se modificada, a legislação incluirá como fator de cálculo para o repasse do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadores e Serviços) as áreas dos municípios que, por serem importantes para garantir o abastecimento público de água, foram inundadas ou consideradas de uso restrito por força da Lei de Proteção aos Mananciais ou de Proteção e Recuperação aos Mananciais. Da forma como está redigida, a Lei apenas permite a compensação por áreas inundadas utilizadas para produção de energia.


É difícil admitir, mas, é preciso reconhecer que foi muito difícil escrever cada linha deste texto. A proposta parecia simples; traçar e comentar o momento político em que vivemos, focando a corrida presidencial, os candidatos e a posição da população. Parecia simples, mas não foi.

Há tempos estamos acostumados a viver eleições onde candidatos conhecidos, geralmente aliados ao PSDB ou PT, disputam a vaga de Presidente da República. Isso é quase uma tradição. Este ano, no entanto, a disputa presidencial esteve diferente desde o começo.

Estamos vivendo um governo que estagnou o país e que deixou o brasileiro visivelmente abatido e desacreditado da política como algo a ser respeitado. A começar pelo horário político veiculado na televisão. Ano a ano os programas eleitorais estão mais avacalhados, um absurdo!


Com ressalva, vereadores aprovam empréstimo financeiro junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de R$ 5 milhões para implantação do PMAT - Programa de Modernização da Administração Tributária.

Depois de explanações contrárias e favoráveis a Câmara isabelense aprovou por nove votos a cinco, na sessão da última terça-feira (19), o Projeto de Lei Complementar nº 04 apresentado pelo Executivo que autoriza o Prefeito Gabriel Bina a contrair empréstimo bancário.

De acordo com o projeto, os recursos resultantes do financiamento serão obrigatoriamente aplicados na execução do Programa de Modernização da Administração Tributária e da Gestão dos Setores Sociais Básicos, do BNDES.


Através de ações de cidadania, vereador incentiva a participação popular através de Audiência Pública e atinge mais de duas mil assinaturas em abaixo assinado. Mesmo com a aprovação do Projeto de Lei nº 04 que autoriza a contratação do PMAT através de empréstimo de até R$5 milhões com o BNDES, o presidente do Legislativo isabelense Luizão Arquiteto (PR) faz balanço positivo de suas ações populares.

O vereador republicano se mostrou contra o projeto desde sua apresentação, daí em diante começou a maratona para explicar a população que a administração tem outras prioridades urgentes a serem resolvidas antes de comprometer o erário público com uma dívida, considerada por ele desnecessária.


Pesquisar no site

Jornal Agora News - Virtual

Banner

Previsão do Tempo

Cambio

Login